Monty Phyton deve ser um caso único na história da Informática. Décadas antes de as coisas começarem a se parecer com o que temos hoje, eles faziam graça com as idéias mais bisonhas e bizarras que você pode imaginar. Essas maluquices foram tão marcantes para a geração que cresceu vendo Flying Circus que acabou em pelo menos dois casos notórios. Um deles é o nome da linguagem Python.


Assista Em Busca do Cálice Sagrado e A Vida de Brian para um curso-relâmpago em loucuro pitonesca, muito pitoresca.


O outro é a gíria spam.

Todo mundo hoje em dia sabe o que é spam: é mandar uma mensagem de e-mail, newsgroup etc. para muita gente ao mesmo tempo, indiscriminadamente. Eu estava lá, vendo essas coisas acontecerem: um belo dia um colega de facul (IFGW) contou dessa coisa que estava acontecendo, spam. E que o nome vinha de um programa de tevê da Inglaterra, que tinha uns vikings cantando “spam, spam, spam”.

Spam, Spam, Spam tem essa spam cara no spam Brasil. Bleagh!
Spam, Spam, Spam tem essa spam cara no spam Brasil. Bleagh!

Estávamos em 1991 e não existia wikis, fórum, Yahoo Answers – nada dessas coisas que hoje tomamos como garantidas. Era tudo, ainda, boataria, mas agora vinha pela Internet (e dizíamos hoax, não boato, :-) .) Não tínhamos youtube, e webcams eram uma brincadeira para saber quando o café estava pronto.


cooooof-cof-cof!!! Estou sufocando no meio de tanta naftalina! Arf! :-D (Os smileys são dessa época também! (ARGH!) )


Mas hoje nós temos. Clique aqui para assistir o famigerado sketch do Monty Python que deu origem à gíria. Depois volte aqui e continue lendo – vou relacionar isso com BI já, já.

Spam, Spam, Spam! Assista o vídeo, rache o bico.
Spam, Spam, Spam! Assista o vídeo, rache o bico.

Recobrou o fôlego? Vamos em frente.

A mensagem do sketch é simples, direta, genial: abusar de uma coisa boa a torna ruim. E não pense que isso é um exagero ou que estou forçando a barra. Água em excesso mata, oxigênio em excesso mata, comida em excesso mata! O excesso é prejudicial. Existe um outro aforismo, também muito famoso, sobre esse tema:

A diferença entre o remédio e o veneno é a dose.

Paracelsus

“Diacho, Fábio”, dirão vocês, “que é que isso tem a ver com BI??”

Hoje em dia? Tudo.

Dashmania

No post anterior eu contei um pouco do que eu vivi durante a época em que a idéia de visualizar os dados em um painel – um dashboard – ganhou força.

Faça uma busca, no Google mesmo, por BI. Só, mais nada. Depois explore os primeiros links patrocinados – não os resultados da busca, mas os patrocinados. Para mim, veio isso:

Resultados patrocinados da minha busca por BI no Google.
Resultados patrocinados da minha busca por BI no Google.

Eu segui esses links, para ter uma idéia do que anda pelo mercado ultimamente. Claro que não vou colocar tudo que vi aqui – seria maçante, e alguma destas empresas poderia interpretar mal a minha idéia.

Resumo da ópera: exceto no Manta, que parece ser uma ferramenta de otimização para ETL, aparecem todas a buzzwords, exceto (curioso…) BigData. Só que o suco de todas essas propagandas é “PAINEL”.

Só para confirmar, dei uma olhada de novo em todos os fornecedores “tradicionais” de BI, como MicroStrategy. (Caramba, dos “tradicionais” sobrou só o MicroStrategy. Hyperion, BO etc. etc. etc. foram todos absorvidos e sumiram…) E tem os novatos, como Tableau, Spotfire e o household name da área, QlikView. Painel, Painel, Painel.

O Mundo É Um Palco, Não Um Painel

Shakspeare disse:

All the world’s a stage,

And all the men and women merely players;

Na boa? Se Shakespeare vivesse hoje, aposto que ele diria:

All the world’s a dashboard,

And all the men and women merely KPI Widgets;

(Nossa, citei Shakespeare! Posso morrer agora porque nunca vou fazer nada melhor que isso! Kkkk…)

Painel, Pinel

Não tem como assistir Spam, Spam, Spam e depois de ver tanto Painel, Painel, Painel não dar uma risada… :-) Eu devia fazer um vídeo… Hmm….

Como seria o sketch do Monty Python para BI, hoje em dia?


  • Olá, meu bom homem. O que você tem de BI?
  • Bom, temos “Painel, Relatório, Integração de Dados“, “Analytics, Painel, Data Discovery Painel, Painel Discovery Analytics Painel“, “Painel, Relatórios Painel, Painel Painel Dados“, “Data Painel Discovery Painel Painel“…
  • Não quero painéis. Tem Relatórios sem Painel?
  • Painel Relatórios sem Painel? Quem iria querer isso? Bleagh!

:-D

Dashboards são boas ferramentas, como também são relatórios, OLAP e Data Mining. Mas assim como Spam, usar uma só ferramenta, o tempo todo, para tudo, é um desastre.

Conclusão

Como eu sempre digo, já tentou cozinhar feijão em uma frigideira? Ou fazer um bife em uma panela de pressão? Talvez você conseguisse feijão frito com carne de panela, mas nunca feijão e bife.

Se você precisa analisar dados em tempo real, você não precisa de BI. Olhe meu post Analítico ou Operacional para uma discussão do tema.

Se você precisa apresentar dados sumariados, atraentes, de maneira sexy, painéis são a tua ferramenta. E também o são para tarefas como acompanhamentos diversos.

Mas BI não é só painel. Putz, BI tem tanto a ver com painel como um carro tem a ver com um avião: em comum têm apenas o fato de serem meios de transporte, porque de resto são totalmente diferentes. Não dá para ir atá a padaria de avião, como não dá para chegar à Antártida de carro.

Não use só painéis, painéis para tudo, ou você vai ficar sem nada.

Spam, Spam, Painel, Spam, Painel, Painel, Painel, Spam, Painel, Painel!
Spam, Spam, Painel, Spam, Painel, Painel, Painel, Spam, Painel, Painel!

Até a próxima. ;-)

2 comentários sobre “Spam, Spam, Spam

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s